Olha quem está falando, quer dizer, voltando. =D

25 de abril de 2009

As empresas de telefonia ainda não estão preparadas para a portabilidade numérica

Jesuis.

Eu tenho um celular antigasso. Um Nokia 6235, que além de ter um obsoleto infrared, era CDMA da Vivo, ou seja: não possui chip.

Nunca gostei da Vivo. Acho que é muito caro pelo serviço porco parco que oferecem. Fiquei tentado em mudar de operadora logo que foi lançada a portabilidade numérica, mas fui protelando, pois teria que comprar outro aparelho.

Até que, com um novo aparelho, decidi solicitar a portabilidade. Eu queria mudar de Vivo para Oi, pois a promoção vigente é bem bacaninha.

Na última segunda-feira (20/04) fui até Taubaté, na loja Oi do shopping, apenas para comprar o novo chip e portar o número. Quando cheguei lá, disseram que eu teria que voltar 7 dias depois, porque eles estavam com uma fila enorme de clientes pedindo a portabilidade. Ou seja, eles não estão preparados para receber clientes de outras operadoras. "Simples assim".

Puxa vida, eu não iria voltar em 7 dias. Decidi então ir na loja da Claro, que ficava praticamente do lado e comprei o chip e portei o número. É, foi no "não tem tu, vai tu mesmo."

A atendente me explicou que o meu número portado estaria disponível às 10h da sexta-feira (25/04). Enquanto isso eu ficaria com o meu Nokia 6235 funcionando e depois ele viraria peso de papel. Agradeci e fui embora. Ao sair da loja, chega uma mensagem em meu celular:



"Voce pode ganhar 2 fina de semana p/ falar com qualquer VIVO em ligações locais.E so cancelar seu pedido de portabilidade e ficar na VIVO." Enviado por 854.



O texto estava escrito desta maneira, sem acentuação mesmo. Será que a empresa acha que os acentos não são necessários? Ou que o cliente é um ignorante e não se importará em receber uma mensagem sem acentuação. Aff. Olha só a VIVO tentando manter-se viva...

Até aí beleza. Daí ontem chegou o grande dia. Quando acordei o meu Nokia 6235 já não efetuava nenhuma ligação. A portabilidade havia funcionado, pensei. Achei melhor esperar até o meio dia para colocar o chip no novo celular e verificar. Quando coloquei, adivinha o que aconteceu. Isso mesmo, não funcionou. Eu estava impossibilitado de receber e fazer ligações no meu número.

Emanei energias negativas, via pensamento, para a Claro. Resolvi ligar no 1035 e também ser atendido via chat. Enquanto eu era transferido no teleatendimento, já estava explicando o problema para a pessoa que me atendia via chat.

O problema foi resolvido via chat, em 20 minutos, mas ainda estava eu conversando com a a teleatendente da Claro. Eu não a havia avisado que eu fui atendido via chat e que o problema tinha sido resolvido, continuei apenas para verificar em qual canal o atendimento seria mais rápido e adequado. Até que, depois de 30 minutos ao telefone, ela me falou que o problema seria resolvido em 4 horas. Mal sabia ela que o problema fora sanado.

Conclusão 1: nenhuma operadora gosta de você. Elas querem apenas o seu dinheiro.
Conclusão 2: entre telefone e chat, utilize o chat. É mais funcional e barato.
Conclusão 3: Tire a sua própria.

3 opiniões:

Anônimo disse...

por que no seu blog vc nao fala da situação real que vivem as agencias hoje no vale????
o telefone se tocar assusta a secretária, a sala de criação parece um bar de faroeste ...
sem serviço

Sylvio disse...

Caso semelhante aconteceu comigo no call-center do Submarino.

Fui cancelar um pedido e como esperei um bocado pra ser atendido no telefone, entrei no CHAT. Resumindo, pelo telefone a moça me disse que nao estava conseguindo efetuar o cancelamento, mas que ia registrar. Do lado do CHAT, o cara me disse que cancelara, inclusive me fornecendo o protocolo.

Conclusão: Prefira o atendimento via CHAT ao telefone.

Alex Gonçalves disse...

Caro anônimo: é verdade que muito se fala no mercado Valeparaibano, mas pouca coisa é comprovada. As pessoas nem assinam as mensagens que enviam. Não quero transformar o site em programas diurnos de fofocas.

Postar um comentário

O seu comentário é muito importante. Diga para todos o que você pensa! Ou melhor escreva.
Eu agradeço o comentário, se você não me xingou (e nenhuma outra pessoa de minha família), é claro.

Volte sempre!