Olha quem está falando, quer dizer, voltando. =D

7 de março de 2008

Christina Carvalho Pinto, a mulher que revoluciona a publicidade brasileira

Hoje é dia da Mulher, esse ser que todos amam pelos menos uma (a mãe). Para agregar todo o valor que este dia possui, vamos falar da mulher que arrebenta na publicidade aqui no Brasil: Christina Carvalho Pinto.
Ela é Presidente e sócia proprietária do Grupo Full Jazz de Comunicação, é nada mais, nada menos do que o maior nome feminino da história da propaganda brasileira.
Confira mais feitos na carreira de Cristina:

- Foi a primeira mulher a presidir como sócia, um grupo multinacional na América Latina: o Grupo Young & Rubicam, que liderou durante 7 anos.

- Duas vezes eleita Profissional de Propaganda do Ano pelo Prêmio Colunistas;

- Profissional da Década pela ABRACOMP - 1991 (Associação Brasileira dos Colunistas de Marketing e Propaganda).

- Eleita em 1997 pela ABRACOMP como um dos 5 maiores profissionais de propaganda da história dos últimos 30 anos no Brasil.

- Eleita em 2004 pela Revista Forbes “A Mulher Mais Influente do Brasil” no setor de Propaganda e Marketing.

- Em 2005 , “Um dos Dez Maiores Empreendedores Brasileiros” pela Revista Empreendedor.

- 2006 “A Profissional de Maior Significado para a Criação Publicitária no Brasil nos Últimos 20 anos”; Também eleita pelos lideres da imprensa como um dos 10 publicitários mais confiáveis do Brasil.

Sempre que eu lia livros sobre publicidade lia alguma citação sobre a Full Jazz ou Cristina.
E tem gente que ainda fala que o Justus é importante... para a Record, né!
Parabéns para Cristina e para todas as mulheres que lutam para mudar este nosso imutável (será?) país.



2 opiniões:

disse...

Mulher é foda mesmo! Bom saber que tem um nome (feminino) que se destaca tanto nessa área...é um incentivo!

JoJosho disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Postar um comentário

O seu comentário é muito importante. Diga para todos o que você pensa! Ou melhor escreva.
Eu agradeço o comentário, se você não me xingou (e nenhuma outra pessoa de minha família), é claro.

Volte sempre!